Quais os cuidados a serem tomados ao usar uma cinta modeladora

Consegui uma cintura fina é um dos sonhos estéticos de muitas mulheres, que recorrem a diversos métodos para obterem resultados. Uma das novas manias fitness é o uso da cinta modeladora, que pode ser vista no corpo de celebridades brasileiras e internacionais como Claudia Raia, Sabrina Sato e Kim Kardashian.

O uso dessa cinta promete modelar o corpo em poucos dia e reduzir medidas de maneira espetacular. Seu formato é bem parecido com os espartilhos, usados antigamente com o mesmo objetivo, e não muito diferente do que o que as mulheres fazem hoje: se espremerem horas por dia dentro de uma cinta modeladora, inclusive durante a prática de atividade física, com a promessa de diminuírem até 1 cm da cintura por semana.

 

Os riscos e cuidados ao usar uma cinta modeladora

Os riscos e cuidados ao usar uma cinta modeladora

A situação mais comum de se ver cintas modeladoras na mídia é sendo usadas por celebridades em fotos de pós-treino. Embora a imagem de normalidade, muitos médicos alertam sobre os perigos de se exercitar usando o acessório, já que ela limita o movimento e pode desencadear lesões musculares.

É essencial ter em mente que não se deve usar uma cinta muito apertada, já que isso causa aumento da pressão intra-abdominal e influenciar de forma negativa na tonificação dos músculos da região e provocar até o aparecimento de varizes. Além do mais, a cinta modeladora muito apertada pode pressionar a parte inferior do tórax, o que limita os movimentos respiratórios e pode causar problemas mais sérios a longo prazo, como a trombose.

Profissionais afirmam que há um modelo certo para ser usado durante as atividades físicas, como as cintas de couro, que protegem a região lombar durante os exercícios. Geralmente, essa variação de cinta modeladora é usada por atletas e outras pessoas que realizem treino de musculação com mais carga, uma vez que a peça auxilia na estabilização e consequente melhoria da postura.

É essencial cuidado se o uso da cinta for contínuo. O enfraquecimento da camada muscular eleva a possibilidade de atrofiamento – o que pode acontecer com a musculatura após apenas dois meses ininterruptos de uso da cinta. Além disso, usar a cinta dessa forma pode causar sérios desequilíbrios musculares na região. A informação levada ao cérebro é de que a tensão natural das musculaturas na região do tórax do abdômen não é mais necessária – um perigo!

 

O melhor uso no dia-a-dia

 

Existem vários tipos de cinta, e a primeira coisa é descobrir qual é a mais correta para o seu objetivo. A cinta abdominal é usada para corrigir a região abdominal. Calça com cintura alta é mais indicada para corrigir culotes. As cintas modeladoras, por sua vez, corrigem bumbum, abdômen flácido, seios caídos, barriga saliente, celulite aparente e a postura corporal. Já o modelo body com pernas é mais indicado para pessoas acima do peso, que querem corrigir várias áreas ao mesmo tempo.

Se seu objetivo é usar a cinta modeladora para perder barriga, repense seus objetivos! O ideal para chegar ao corpo dos sonhos começa pelas atividades físicas e uma boa alimentação. De nada adianta modelar a cintura e continuar com acumulo de gordura no local. Apesar de ser indicada para modelar e melhorar a postura, antes de começar a usar a cinta é aconselhável se consultar com um profissional especializado, que poderá indicar o modelo ideal para o seu corpo, além de definir quais tratamentos, produtos e alimentação deverão ser aliados ao uso da peça.

Deixe uma resposta